Tags

, ,

47ronin055bp5Os 47 Ronins de Ako ou Gishi Ako,  é uma história real de lealdade e de vingança.  É um conto popular que ainda toca o coração dos japoneses, mesmo apos de 300 anos.

Os túmulos desses 47 samurais estão localizados em um templo chamado Sengakuji, na metrópole de Tóquio.

È là que encerrou se  a história mais famosa de vingança na história japonesa, uma historia conhecida como se o incidente Ako que ocorreu entre 1701-1703.

Asano takuminokami, Senhor Feudal de Ako, foi nomeado pelo Shoguna para organizar as festividades dos convidados do Imperador que foram mandado de Kyoto para visitar Edo. Asano procurou as orientações do  conselheiro oficial, Kira Kozukenosuke.  Mas o Kira não gostava de Asano e tratou-o com malícia, manchando sua honra de samurai.

Incapaz de agüentar o insulto, Asano desembainhou a espada contra ele  cortando-o na testa e no ombro, mas sem matá-lo.

 Na época, era estritamente proibido tirar a espada dentro do castelo de Edo.  Asano foi imediatamente preso. Também existia uma lei chamada de “punição igual para brigas” que castigava os samurais envolvidos  numa luta.  Asano e Kira tinham que  ser punidos.No entanto, enquanto Kira não recebeu nenhuma punição, Asano foi no entanto condenado à morte e foi obrigado a se dar seppuku  no jardim da residência de outro senhor. Dar-se Seppuku em tais condições era reservado aos criminosos,  punição totalmente inadequada para alguém da posição de Asano.  Além disso, suas propriedades foram confiscadas e a linhagem familiar de Asano perdeu seus privilégios de nobreza.

Os fieis seguidores do Senhor da Ako, mais conhecidos como Ako Gishi, ficaram indignados  e pediram uma cassação da ordem bem como o restabelecimento da casa Asano. But their requests were dismissed. Mas seus pedidos foram rejeitados.

Quase dois anos depois do incidente, 47 samurais de Ako comandados por Oishi

Túmulos dos 47 ronins

Túmulos dos 47 ronins

Yoshio montaram ao assalto da fortaleza do  chefe da casa  Karunosuke, para vingar a morte de seu Senhor e à injustiça imposta pelo shoguna. Em 14 de dezembro de 1702, mataram Kira em sua residência.  Foram então para Sengakuji apresentar a cabeça de Kira  no túmulo de Asano e relatar o fato de guerra ao Senhor local.

Os samurais foram  imediatamente presos e 46 deles foram condenados a um suicídio coletivo (Tsume Bara) durante uma ceremonia com todo o decorum devido ao coragem e a honra que tinham mostrado. O 47º samurai, Terasaka Kitchiemon, com apenas 15 anos, foi poupado pelo Shogun tendo com missão de preservar a memória e os túmulos do seus companheiros de armas.

Essa memoria continua hoje a ser preservada no 14° dias do mês de dezembro de cada ano.

Anúncios