Tags

, ,

por Edson Formosino da Silva8º Dan  – Chairman da IUKS International Union of Karate-do Shotokan, 42 anos de prática do estilo Shotokan.

parabola-do-faixa-pretaSabemos Que historicamente, o karatê não adotava nenhuma vestimenta especifica e consequentemente, não tinha também um sistema de graduações pré-determinado. Somente nos meados de 1936, a Dai Nippon Butoku kai do Japão, que é uma organização que cuida das artes tradicionais do Japão, resolveu organizar as artes existentes na época e o karate, representado na época por Gichin Funakoshi e sobre grande influencia de Jigoro Kano, foi convidado a ser oficializado nessa organização. Existiam alguns padrões que deveriam ser adotados para que fosse aceita na organização citada. Entre as exigências feitas estavam: ter um uniforme para a prática e conter um sistema de graduações crescentes. Como nessa época o karatê nesse caso Shotokan, não tinha um sistema de graduações estabelecido e nem uma vestimenta adotada para a prática ficou adotada a vestimenta do judô e a sua ordem de graduação inicialmente. Depois o karatê tomaria sua própria forma. Nessa mesma época o karate sofre seu primeiro golpe fatal, foram retiradas certas técnicas de sua prática por serem formas que não demonstravam a aparência de poder que o Japão na época queria que fosse mostrada, e por isso adotaram-se posturas mais longas e formas as vezes mais baixas para expressar beleza. Outra coisa importante também surgiu disso. Foram retiradas as técnicas de Ne-waza, nague waza, Kansetsu waza, Shime waza e Tegumi do karate, deixando-se apenas as técnicas de golpear com mãos e pés como conhecemos hoje.

Com a grande difusão do karate no Japão nas universidades e o desejo avido de combater dos universitários o karate Shotokan sofre seu primeiro racha quando Masatoshi Nakayama intenta fazer competições esportivas, desobedecendo as orientações do Mestre Funakoshi que era contrário a essa prática, pois sabia o que ela acarretaria ao karate. Nesse período ocorre a divisão do grupo Shotokan e daí surge a Shotokai que optou por seguir as orientações de Funakoshi. Sabemos que o Shotokan é o estilo de karate mais moderno, mas também sabemos que o estilo que mais perdeu sua identidade. Quando foram adotadas graduações no karate, Funakoshi não adotava cores diferentes na graduação superiores, somente a faixa preta era usada. Hoje vemos pessoas que se dizem praticantes do estilo Shotokan usando faixas de diversas cores: Coral, vermelha na graduação superior, usam dan nas faixas e outros ate usam kimonos de diversas cores. O kimono do karate foi adotado do judô e o kimono dessa arte, sempre foi o branco. Hoje vemos pessoas usarem kimonos e faixas de cores as mais variadas e nos perguntamos será que essas pessoas estudam sobre o estilo que praticam, ou se deixam levar apenas pela beleza e praticidade de usar um kimono escuro para esconder a sujeira que ocorre pela pratica diária e com isso demoram a lavar sua roupa. Antigamente falávamos que o kimono era branco para expressar a pureza do seu praticante aí nós perguntamos onde está a pureza em quem usa kimono preto? Ou de qualquer outra cor? Bem alguns falarão que isso não tem importância, mas é devido a essa falta de importância que o Shotokan hoje está se tornando uma escola quase sem identidade. Karate Shotokan hoje é uma verdadeira salada e muita gente nem está ai para isso. Alguns se dizem conservadores da tradição e os vejo trajando kimono colorido e usando faixas diferentes da que outrora era a usada. Alguns usam ate hakama para se mostrar tradicionalistas, mas ate nisso erram botando a faixa preta por cima da hakama. Recomendo que estudem no livro O dojo e seus significados, de Dawe Lowry, ( ndlr: VER AQUI A MATERIA NESSE BLOG )onde fala muito a respeito dessa maneira errada de usar essa vestimenta. faixasKaratê esta sendo banalizado e aqueles que tiveram no passado o contato com a arte ainda com a sua tradição um pouco preservada sentem tristeza ao verem o quadro de hoje. Muita gente só está visando ser campeão e ter títulos e mais nada. O pior é que muitos deles pensam está praticando um verdadeiro karate e essa realidade só vem à tona quando se deparam com situações de defesa pessoal real onde não existe pontuação e nem juiz. Ou funciona ou então poderá perder a vida. Nessas horas as antigas técnicas que muitos hoje nem conhecem mais fariam um grande estrago se usadas, mas como usar sem treina-las ou ate mesmo aprende-las? Alguns professores até tentam fundir o treino esportivo com o treino das técnicas tradicionais do karatê, mas sempre predominam as de competições, porque elas enchem seus dojos e o interesse em ganhar dinheiro fala mais alto. Isso fica reservado a alguns afortunados professores que não vivem do ensino da arte e se dão ao direito de poderem trabalhar o karate de uma forma mais tradicional, onde treinamos tudo que a arte contém. Mantendo viva a arte e nossa escola Shotokan. Embora nesse artigo, citei apenas a escola Shotokan outras escolas também estão sofrendo problemas semelhantes. Em sua essência karate foi idealizado para ser uma arte completa, pois, e, Okinawa era usado para defesa contra adversários que lutavam outras artes. Hoje ouvimos alguns praticantes dizerem que iram treinar outras artes para complementar seu karate. Certa ocasião, ouvi do Grande Mestre Hayashi Kawamura, meu amigo e com quem tive a oportunidade de ser aluno por um tempo, uma frase interessante quando citei a ele que iria treinar uma outra arte para complementar meus conhecimentos, ele olhou para mim e disse assim: “ Quem faz karate bem feito não precisa treinar mais nada, nele tem tudo que você precisa”. Passaram-se anos até que essas palavras se tornassem verdade para mim.

imagesCA1O4SNKEdson Formosino é  8º Dan de Karatê  – Chairman da IUKS International Union of Karate-do Shotokan, 42 anos de prática do estilo Shotokan.

Anúncios