Tags

, , ,

De origem russa, essa modalidade foi influenciada pelas artes marciais japonesa, a começar pelo Judo, e apareceu durante a era de  Stalin. O que não poupou seu fundador para tornar se umas das vitimas do “ Pai dos povos”…

Historia é assim, sendo o sambo um exemplo significativo. O sambo foi oficialmente reconhecido na União Soviética no dia 16 de novembro de 1938. Anatoly Arkadevich Kharlampiev (1907-1979), instrutor de educação física focado em técnicas de  auto defesa, afirmou ser o idealizador da modalidade. Sua idéia: sintetizar   numa única sambo 1disciplina todas as lutas de origem slava ainda existente. Após a segunda guerra mundial, passou então a ensinar seu “esporte” no Clube Dynamo de Moscou onde é formada a elite militar da Administração do país. Reconhecido pela sua eficiência e difundido pelo mundo, o sambo transformou Kharlampiev em verdadeiro herói nacional.

A historia poderá ter sido apenas essa se um tal de Mikhaïl Nikolaevich Lukashev não tivesse contestado o teor da mesma. Pois sem querer abertamente contestar a paternidade da modalidade para o Kharlampiev, Lukashev, no entanto, achou certas incoerências na historia oficial. Como explicar que o sambo negava qualquer vinculo com “o caminho da suavidade” idealizado por Jigoro Kano em 1882. Mais! Kharlampiev teria construído a origem da sua modalidade sob uma “lenda” surpreendente: um herói da Revolução ( comunista de 1917),  N.I Podvoiski, teria encomendado essa mistura em 1922. Ora, nessa data, Kharlampiev tinha apenas 15 anos. Uma historia difícil de acreditar para Lukashev que procurou então pesquisar…

Seu livro “Born in tsar’s prison to die in Stalin’s one “ (“Nascido numa prisão do tzar para morrer numa outra de Stalin”), publicado em 1982, gera polêmica. Complicada pela perda de arquivos e pela pouca vontade de testemunhar em falar sobre o assunto, sua investigação evidencia  no entanto   que Viktor Afanasevich Spiridonov (1883-1943) e Vasily Sergeevich Oschchepov (1892-1937) foram os verdadeiros inventores do Sambo,  sendo de propósito ocultadas suas existências pela repressão do regime de Stalin. Enquanto os seguidores de Kharlampiev denunciam Lukashev numa carta  escrita  ao Comitê Central do Partido Comunista da União Soviética, O comitê dos Esportes da União Soviética abre um inquérito que interessa grande parte dos mais antigos praticantes de sambo. Antigamente forçados ao silencio, eles podem ate que fim começar a falar e contar a verdadeira história. Finalmente, graças a testemunhas, arquivos e documentos oficiais reunidos, a verdade finalmente aparece sobre a verídica identidade dos fundadores do Sambo.

Encarrar as piores situações

Viktor Afanasevich Spiridonov é o priiero perito da modalidade que mais tarde, sob a direção do seu aluno Vasily Sergeevich Oschchepov adotara o apelido de “sambo”. Nascido na Russia em 1883, entra no exercito  do tzar na idade de 17 anos. Promovido  oficial, va para a Mandchouria para participar da guerra russo-japonesa (1905). Nessa época , ele repara que nenhum sistema de luta é ensinado ao pessoal militar . No decorrer da Primeira Guerra mundial,  Spiridonov fica gravemente ferido   por um golpe de facão. Diminuído e de pequena estatura, desenvolve então um sistema de luta que permitiria encarar as piores situações nas situações mais adversas e complicadas. Para  isso fazer,  ele considera os fatores de estress e de medo considerando como ponto de referência a SUS própria experiência vivenciada nos campos de batalha.

Em 1923, o Clube Dynamo de Moscou oferece una formação ao combate para militares et oficiais. Spiridonov é instrutor e designa sua modalidade sob o apelido de « Samoz » (literalmente « auto defesa sem armas »). A eficiência da sua arte é tão reconhecida que ele passa a instruir os guardas corpos pessoais de Joseph Stali, os Sokoli Stalina. Durante os últimos anos da sua vidaSpiridonov percorre a Europa inteira e seleciona as melhores técnicas de boxe francesa ou inglesa, da luta corpo a corpo, da esgrima e do jiu jitsu. Viaja também para a Mongolia, a China, na India para enriquecer sua arte marcial. Morre em 1943 num completo anonimato.

A vida de Vasily Sergeevich Oschchepov é mais trágica. O menino nasce uma penitenciaria para mulher na ilha de Sakhaline em 1892. Na idade de 11 anos, perde a mãe para ser adotado por um arque bispo ortodoxo que mais tarde ira participar dea criação de escolas no Japão. Em 1907, Oschchepov é mandado numa delas, em Kyoto, onde aprende o Judo. Ele mostra habilidade  para essa arte marcial criada 25 anos antes por Jigoro Kano. Identificado como um brilhante aluno, ganha o direito de treinar no Kodokan, templo sagrado do judô onde recebe das próprias mãos do Mestre Kano sua faixa preta, sendo assim o primeiro russo a obter o primeiro Dan.

Em  1914, voltou para a Russia em Vladivostok onde abre uma escola de Judo. Graças ao seu domínio do japonês e do inglês, ingressa o exercito Russo na função de tradutor. Após a revolução de 1917 que ele apoia, ele esta mandado para o Japão e a China. Lá, ele aprimora seu conhecimento em Artes marciais asiáticos. Volta para a Russia em 1921, continuando ensinando e criando uma fama de perito em artes marciais. Em 1929, um general convida ele para criar “um projeto especial de Judo” para o Exercito Vermelho que ele desenvolve com sucesso. Porem, ele já image_sambo2tomou consciência que o judô de Jigoro Kano foi criado com fins educativas. E imagina criar um sistema de combate mais realista. Entra então em contato com um tal de  Viktor Spiridonov, instrutor no Dynamo de Moscou e perito em luta grego-romana e jiu-jitsu. Essa parceria permite ao Judo de  Oschchepov ser enriquecido de técnicas de pernas e punhos trazidos pelo Spiridonov.  A idéia é obter a técnica de modo mais rápido e eficiente que possível. Integra para isso técnicas e movimentos de lutas slavas,  européias e americanas.

Para aumentar a segurança dos praticantes, inventa um tipo de amadura com luvas e proteja canelas. Ao keikogi tradicional do judô, prefira  cascos especiais (kurka), calças (Trusi)  e calçados de couro macio (sambofki). O primeiro aluno para que ensina Oschchepov é Anatoly Kharlampiev. Com 20 anos, tendo bastante viajado em varias pais para estudar diferentes estilos de artes marciais, esse contribui para o crescimento do Sambo na integralidade da União Soviética. Nessa época, o gverno societico prorpiamente paranoiaco não enxerga boas as influencias estrangeiras  em qualquer dominio que seja. Vasily Oschchepov, que sempre admitiu que o Sambo era amplamente influenciado pelas artes marciais japonesas (principalmente o judô) contrariava portanto os mais altos niveis do Estado. No 29 de setembro de 1937, um decreto de conspiração foi promulgado contra ele. Acusado de ser um espião aos serviços dos Japonês, foi detido num Gulag na Sibéria antes de ser executada de uma bala na cabeça.

Seu aluno, Anotoly Kharlampiev, se distancia então de Oschchepov e se auto proclama criador desse sistema de combate « apenas baseado sobre antigas formas de lutas slavas » dando para ele o nome de Sambo oficialmente reconhecido pela Intelligentsia soviética no 16 de novembro de 1938.

“ Melhor é prender dez inocentes que deixar escapar apenas um espião » era a doutrina na era de Stalin que fez executar grande parte da elite militar da época, antes da Segunda guerra mundial. tal como  Vasily Sergeevich Oschchepov, que tive a péssima idéia para melhorar sua técnica procurar influencias fora da União Soviética e principalmente no Japão, inimigo íntimo dos Soviéticos após o Tratado de Porsthmouth em 1905 que obrigou o “Urso” soviético e ceder a Ilha de Sakhaline aos Nippons.

Fora o Judo e o Jiu jitsu (japonês), o sambo tira suas raízes de diferentes lutas da ex União Soviética : a kurash (Ouzbékistão), Chidaoba (Georgia),  Kures (Kazakhstão) a Gulesh (Azerbaïdjão) e a Kurijash (Tatarstão e Bachkortostão). Dentro dos « samboïstas » mais conhecidos, podemos evocar o atual presidente da Russie Vladimir Poutine e o campeão de Mixed Martial Arts Fedor Emelianenko.

Texto original de Florent Bouteiller

Tradução Xavier Henri Baudequin

Anúncios