Tags

, , , , ,

Iniciaremos hoje um trabalho de pesquisa sobre Gankaku reproduzindo uma excelente materia publicada no site http://www.flaviocosta-karatedo.com/, com a autorização do idealizador da materia

grueO que exatamente é Chinto? Parece que há uma forma chamada Chen Tou em mandarim (Ngo Cho Kuen, Punhos dos Cinco Ancestrais) que foi um estilo popular nos distritos de Quanzhou e Shamen (Amoy) na província de Fujian, e significa em japonês, “afundando a cabeça (Kinjo, 1999).
Chen Tou faz referência a “afundar o garoto e proteger a cabeça” (???). No kata Chinto de Okinawa, essa é a primeira técnica, mas no estilo dos Cinco Ancestrais é a última (Kinjo, 1999). Dito isso, eu nunca vi esse kata Chen Tou pra poder comparar, mas vale investigar…

Fui buscar uma tradução para os kanji de Chinto e esse foi o resultado que encontrei:

Capturargankaku

Significados comuns atribuídos a esse nome corroboram o resultado da tradução acima:Lutando rumo ao leste”, “Ataque vindo do leste”, “Lutando numa cidade”.

É de conhecimento geral que esse kata foi ensinado ao grande Matsumura Sokon por um chinês chamado Chinto, mas essa lenda não pode ser corroborada. De acordo com um artigo de jornal escrito por Funakoshi Sensei, datado de 1914, onde fala que ouviu de seu Mestre, Asato Anko, que era aluno de Matsumura, a seguinte informação:
Entre aqueles que receberam instrução de um exilado de Annan em Fuzhou, incluem-se Gusukuma e Kanagusuku, Matsumora e Oyadomari, Yamasato e Nakasato, todos de Tomari, que aprenderam o kata separadamente, pois seu professor tinha pressa para voltar à sua terra natal.(sic, Shoto, 1914).

Existem três “famílias” distintas do kata Chinto no Karate moderno de Okinawa: a linhagem de Matsumura / Itosu que o faz de frente para trás; a linhagem de Matsumora Kosaku que o faz lateralmente e as que vêm de Kyan Chotoku, fazendo-o em um ângulo de 45 graus. Do ponto de vista técnico, as versões de Matsumora e Kyan são praticamente idênticas, o que é natural, pois Kyan aprendeu com Matsumora. (Não confundam MatsumOra Kosaku com MatsumUra Sokon!!) 
Um kata muito dinâmico, empregando uma diversidade de bases, incluindo a incomum “base da garça” (tsuru-ashi-dachi), aplicando ataques peculiares em que rapidamente varia-se a altura e um giro raro pivotando em um só pé.
O bunkai geralmente descreve esse como um sistema útil em terrenos acidentados ou ascendentes e eu concordo. Diz-se também que Chinto deve ser executado de frente para o leste. Acho Bobagem…
Hoje é praticado nas escolas Wado-ryū, Shūkōkai, Isshin-ryū, Chitō-ryū, Shōrin-ryū, Shōrinji-ryū, Shitō-ryū, Shotokan, Gensei-ryū e Yōshūkai.

No Shotokan chamamos de Gankaku ( 岩鶴 ) , que significa “garça sobre uma pedra” numa alusão poética à manji kamae em tsuru-ashi-dachi. Quem deu esse nome foi Funakoshi Sensei (que era poeta) quando trouxe o Karate pro Japão. Aliás, mudou muitos dos nomes pra que o japonês, avesso à tudo de origem chinesa e okinawense, aceitasse o Karate em seu país.

Funakoshi Sensei executando Gankaku

Funakoshi Sensei executando Gankaku

Antes disso (anos 1930) o kata se chamava Chinto,no Shotokan, como todos os outros estilos ainda o chamam. Dizem muitos autores que Chinto seria o nome do inventor do kata ou das técnicas nele contidas. A “versão oficial” é que Matsumura Sokon, secretário de segurança de Okinawa e mantenedor da ordem, aliás professor dos dois sensei de Funakoshi, foi enviado para as praias cheias de pedras e cavernas para prender um náufrago / pirata / marinheiro chinês cujo navio afundou às praias de Okinawa e, para sobreviver, estava roubando mantimentos e bens dos transeuntes e comerciantes.

Ora, por que enviariam um ministro / secretário de segurança e guarda-costas real para essa tarefa? Porque o Clã Satsuma, que comandava Okinawa substituiria o governo de lá se não fossem capazes de manter a lei e a ordem. Só que não podiam usar armas, então, pra não dar margem pro azar, o melhor lutador de sua época, Bushi Matsumura foi com dois de seus colegas, Matsumora e Oyadomari, ambos residentes da vila próxima de Tomari e também oficiais do governo de Shuri, além de grandes Karate-ka, de quem teve origem o chamado Tomari-Te.

Eu, particularmente acho que nunca existiu o Tomari-Te, visto que os oficiais karate-ka do Castelo Shuri iam morar na vila de Tomari quando se aposentavam, então pra mim, é tudo Shuri-Te com os “sotaques individuais de cada Mestre”, mas isso não vem ao caso…

Reza a lenda que os três tiveram muita dificuldade em derrotar o tal sujeito, a quem alguns atribuem o nome de Chien Tou (!!!), que à certa altura, Matsumura pediu uma trégua e propôs ao oponente que se rendesse pacificamente e, se lhes ensinasse sua técnica, o colocariam em liberdade e o ajudariam a voltar à sua terra.

Matsumura e os dois amigos não conseguiram pegar o cara porque ele fugiu pra uma caverna cheia de degraus de pedra e piso acidentado, onde o Karate linear de Matsumura não podia ser empregado. Tentem dar um Oi-Zuki ladeira ou escada acima em chão úmido e escorregadio com um cara te chutando a cara lá do alto….

Pois é, os três se ferraram muito e, segundo sugerem alguns especuladores, Matsumura finalmente o matou, pois não há registro nenhum de prisão de ninguém com essa descrição na época em que isso aconteceu. Depois de dar sumiço no cara, os três passaram a aplicar os princípios que tiveram dificuldade de sobrepujar em seu próprio treinamento.

A história do acordo é a mais aceita entre os autores e a frequentemente divulgada. Ninguém nunca saberá realmente o que houve nem como Chinto foi desenvolvido, mas…

Os kanji sugerem a tradução lutando em direção ao leste ou lutando rumo à cidade ou lutando rumo ao mercado e até suprimir a luta. Acontece que o trono do castelo de Shuri tinha uma escada oculta atrás dele, onde provavelmente iniciava a rota de fuga e de retirada do rei, no caso de uma invasão ou tentativa de abdução.

O próprio Seiden, sala do trono, ficava no leste e o caminho que se pode tomar à partir dali e através das catacumbas e cemitérios leva ao centro da cidade de Naha.

As técnicas de combate do kata que Matsumura repassou são para lutar em um corredor estreito, em desnível com ou sem escadas. Quando o time de extração de Matsumura (Tekki / Naihanchi) retirasse o rei pela passagem e o time de reação (Bassai e seus derivados) estivesse de volta em segurança (ou não), fechavam a porta e se escafediam. Mas a porta não duraria muito e uma perseguição seria de se esperar. Matsumura sempre estava preparado, ele planejava antecipadamente o que fazer diante do pior.

A escada levava a um sistema de túneis subterrâneos bem extensos e escuros (que depois foram usados pelo exército japonês durante a segunda guerra, na batalha de Okinawa). Depois chegava no cemitério e nas catacumbas onde o Karate linear também não tem efeito ali. Também não se pode acertar um Oi-Zuki naquele lugar e o terreno tem ladeiras, escadas e é estreito. Seus perseguidores só podem atacar em linha, enfileirados e não podem te cercar. Acho que o kata foi um “insight” de como utilizar as técnicas do tal náufrago em uma situação similar.

As armas de fogo dos exércitos modernos daquela época tinham, geralmente, somente um tiro e, mesmo que acertassem, precisariam de 30 a 35 segundos pra recarregar, e se fosse parar pra fazer isso na frente daqueles caras, você ia morrer.

Algumas armas daquela época já disparavam múltiplos tiros, mas ainda assim, você não atira no escuro, se tiver o perigo de acertar um dos seus, portanto as baionetas, porretes e espadins eram o máximo de armas modernas viáveis.

Se, em algum momento, os perseguidores encontrassem o caminho certo nos labirintos teriam que se engajar em combate corpo-a-corpo com os Karate-ka de Matsumura que estariam esperando mais acima e aplicando as técnicas de luta suprimida pelo espaço apertado nas escadas ou ladeiras contidos em Chinto, que lutavam enquanto fugiam para o leste ou para a cidade. (Seguindo os túneis, pode-se chegar ao centro de Naha).

White Crane_displayEm alguns estilos que paralizaram no tempo (Kyan pesquisava versões arcaicas dos kata que aprendeu), o embusen é em diagonal, que pra mim, sugere uma alusão a uma ladeira ou escada em ângulo de 45 graus. O kata é em linha e com muitos giros apertados condizentes com quem luta num corredor.

As aplicações são lindamente brutais, como Karate deve ser. O tobi-geri é, na verdade, um sutemi-waza quando sua perna é agarrada por alguém no degrau de baixo e, já que vai cair mesmo, você pula e “chuta os cornos” de quem tiver em baixo. Quando volta, ataca com gedan juji-uke (ou uchi, no caso) nas articulações de trás das pernas de quem tá em cima, provocando um desabamento em massa, gritaria e caos no escuro.

Uma das formas de evitar ter a perna agarrada é se defender na já descrita tsuru-ashi-dachi (uma perna só). Quedas torções e quebramentos estão presentes e uma torção de pescoço é particularmente cruel.

É um kata obrigatório pra graduados, de difícil execução e que exige fisicamente do praticante. Sua aplicação é muito bem bolada e, apesar de específica, contém técnicas eficazes e práticas, perfeitamente utilizáveis em variadas situações reais de combate, capazes de provocar sérios danos.

Gankaku é um dos pilares do Karate Shotokan, uma obra prima e a última fase do plano de ação de Matsumura. Depois de Reagir com Bassai e Extrair com Tekki, Gankaku é embarricar e fugir para o leste

Anúncios