Afinal, o que conhecemos sobre a palavra, existem várias linhas de pensamento, vamos lá tentar definir algumas interpretações para o uso da palavra “Oss”:

Inicialmente é importante saber que a letra “s” não pode ficar solta dentro do silabário japonês, seja na escrita Hiragana (para escrever palavras em japonês) ou Katakana (para escrever palavras de origem estrangeira). O silabário japonês relativo ao “S” é SA, SI, SU, SE, SO, deste modo, levando-se em conta esse silabário o certo seria falar “OSI” ou “OSU”. Ou seja, a palavra “OSS” não existe no idioma japonês, face a incapacidade da escrita.

A palavra “OSI” ou “Osu” é usado no Japão apenas entre jovens do sexo masculino. Trata-se de uma palavra de uso popular, considerada “dura”, sem refinamento, falada apenas por homens e pessoas de pouca instrução. No Japão é bastante deselegante dirigir-se a uma pessoa mais velha ou a uma mulher utilizando essa palavra. Seguindo essa linha de pensamento, cumprimentar o Butsudan (altar dos Budhas e Ancestrais), a imagem do Patriarca Fundador do estilo, seu professor ou alguém mais graduado é considerado (no Japão) falta de respeito.

As escolas de Karate no Japão não tem por costume usar essa palavra. Cabe lembrar que os cumprimentos e toda a sorte de cerimônias que são efetuadas nas aulas de Karate e em todas as outras manifestações japonesas (cerimônia do chá, ikebana, teatro Nô, teatro Kabuki etc), derivam do treinamento monástico dos monges Zen Budistas, que influenciaram de maneira indelével a personalidade e os costumes japoneses. Entretanto, gostaria de destacar que nenhum monge ou praticante emite qualquer tipo de som quando abaixa a cabeça a fim de efetuar os vários e enumeráveis cumprimentos nos mosteiros e templos Zen do Japão e daqui.

Muitos mestres de Karatê, famosos e conhecidos no Japão e no Brasil trabalhavam como segurança (guarda-costas) dos “chefões” da Máfia Japonesa (Yakuza) ou então eram professores de Karate de seus integrantes, a palavra “OSI” ou “OSU” provavelmente se popularizou dentro do karate por ser um cumprimento típico desses membros.

Existe a possibilidade da palavra “OSI” ou “OSU” ter chegado ao Brasil com os primeiros professores porque a grande maioria dos que vieram do Japão e começaram a ensinar Karate aqui no Brasil e em alguns países, não detinham formação superior (com a palavra os historiadores), passando-se deste modo, a incorporar a palavra ao vocabulário do Karate como sinal de entendimento, concordância e respeito. Cabe ressaltar que na língua japonesa a palavra comumente usada e considerada educada para esse fim é “HAI” (sim), efetuado de forma rápida, direta e acompanhada de um inclinar rápido de cabeça.

O karate, quando foi levado para o Japão por Funakoshi Gichin e posteriormente por outros mestres  obteve grande aceitação por parte das Universidades. Seus estudantes querendo mostrar, força, coragem, valentia e a natural rebeldia usavam palavras fortes, dentre as quais se encontrava a palavra “OSI” ou “OSU”.

Na Marinha Imperial Japonesa, durante a Segunda Guerra Mundial, os jovens marinheiros sempre respondiam a seus superiores com a palavra “OSI” como uma forma contracionada da expressão japonesa OSU SHINOBU (esforço pessoal e grande sacrifício).

Há quem ”jure de pé junto” que a palavra “OSU” é uma forma contracionada da expressão japonesa Ohayo Gozaimasu (muito bom dia).

Existem outros que “juram sobre a mãe morta” que a palavra “OSI” é uma forma contracionada da expressão japonesa Shitsurei Shimasu (com licença, me dá licença).

As palavras, expressões e certas frases ao longo dos tempos, sejam elas naturais de um país ou estrangeiras se modificam em razão de “ usos e costumes”, aqui no Brasil a palavra “OSI” ou “OSU” passou a ser “OSS” por eutonia, do mesmo modo que Bodhidharma ao chegar na China convocava todos os monges praticarem o “DHYANA” (que quer dizer meditação) ao que eles entendiam “CHANNA” (que passou a ser sinônimo de meditação), posteriormente eles passaram a usar palavra “CHAN” como uma forma abreviada da palavra “CHANNA”, quando esse tipo de meditação chegou ao Japão recebeu o nome de “ZEN”, que quer dizer meditação, quando chegou na Coréia recebeu o nome de “SUN” que tb quer dizer meditação. Do mesmo modo, a palavra “OSI” ou “OSU” ao longo dos tempos perdeu seu significado original e passou a ter outras designações, tais como: “Sim”, “Por favor”, “Obrigado”, “Entendi”, “Desculpe_me”, “Como cumprimento respeitoso”, “Em qualquer situação onde uma resposta afirmativa seja necessária”. O seu uso popular eminentemente ocidental (com a palavra os historiadores), deseja representar o fato do Karateca ter a intenção de exigir de si mesmo o máximo de perseverança e força de vontade. A palavra OSS, como é utilizada aqui no Brasil, por si só pretende resumir toda a filosofia do Karate.

Texto de Getulio Taigen do Taigen Karatê Budo

Materia ja publicada no Bubishi em Abril de 2009

Anúncios