Num documento expedido pelo Shihan Angelo Rafael a redação do Bubishi (re) descobrimos certos dos fundamentos essenciais da estratégia samurais que já foram amplamente divulgado em sucessos de livraria tal como o  Livro dos Cinco anéis ( Go rin no Sho ) obra escrita pelo  mais famoso samurai de todos os tempos, Miyamoto Musashi (1584-1645).

Desse documento extraímos o que constitui no nosso sentido a pedra angular de todas as regras definidas pelo Bushido, o código de honra dos samurais. A pesar de já ter sido considerado conjunto de idéias conservadores que não correspondem mais logicamente as necessidades da era moderna, já sabemos pelos inúmeros sucessos de publicações como algumas dessas regras foram utilizadas para suscitar e estimular a lógica e o desempenho empresarial . Nesse sentido, a outra obra de referência, A arte da Guerra, do chinês Sun Tzu, constitui um dos textos marcial mais procurado, e desviado do seu propósito inicial, para entender melhor como podemos nos beneficiar de uma sabedoria milenar, porém sempre de atualidade.

E assim destacamos o trecho seguinte :

A base do código dos samurais é a justiça – nada é mais abominável para eles do que relacionamentos dissimulados ou comportamentos injustos. O conceito de justiça é o poder de decidir o curso de uma ação de acordo com a razão ou, nas palavras de um samurai, “bater quando for certo bater e morrer quando for certo morrer”. Assim como na época de Musashi, a aceitação dos padrões morais e sociais não deixa dúvidas quanto à maneira correta de agir. Em ambigüidades ou incertezas sobre o comportamento, competidores e combatentes podem focar na tarefa que têm a fazer. A integridade absoluta do código samurai é essencial para alcançar sucesso e, ao mesmo tempo, agir de acordo com os padrões de uma sociedade moral.”

Anúncios