Luis Pedruco, um mestre, pai, consultor, confidente e acima de tudo um grande e eterno amigo.

Em Novembro de 1970, desembarca no Brasil depois de iniciar uma longa jornada, macau, sua terra natal, Japão onde foi pessoalmente comunicar e pedir a benção do nosso saudoso Seigo Tada Sensei para introduzir o karate Goju Ryu Seigokan no Brasil.

O início foi bem difícil, se impor em um país onde outro estilo de karate era dominante e que não aceitava outros estilos mas com o tempo e paciência ele mais seu companheiro de turma e grande amigo Acaio que chegou no Brasil poucos meses depois a Seigokan se transformou em uma das principais linhas de Goju Ryu.

O que falar do sensei Pedruco, é difícil pois muitos atributos eu daria a ele mas o que sempre me fez adimirá-lo foi a maneira como ele conduzia os assuntos por mais que conflitantes sempre havia uma palavra conciliadora.

Falar de um Mestre que me ensinou que apanhar é divertido que tinha uma facilidade extraordinária de transformar o karate em algo divertido de se aprender, de esperar pelos dias da semana pelos treinos de karate na A.C.F no centro do Rio ou na Francisco Muratóri na Lapa ou mesmo na ASBAC quando ele ia e fazia mais amigos, meus alunos sempre pergutavam a mim, //“E o sensei Pedruco, virá hoje?//” Ele realmente deixou saudades na nova geração mas na realidade em todas as gerações dos praticantes da Seigokan que tiveram a honra e felicidade de treinar com ele.

Os grandes projetos da Seigokan no Brasil sempre teve uma participação fundamental do Sensei Pedruco.

– A Academia na Francisco Muratóri, onde pela primeira vez a Seigokan tinha uma sede própria, ele e o sensei Acaio bancaram com recurssos próprios a reforma do espaço e mesmo as despesas de manutenção pois o karate nunca deu lucro a eles.
– A primeira visita do Hanshi Seigo Tada em 1976, ele e o sensei Acaio mais uma vez praticamente custearam as despesas da vinda do nosso hanshi do Japão.
– 1993, a segunda e última visita do hanshi Seigo Tada ao Brasil, ele praticamente organizou o levantamento de fundos, a estrutura organizacional e principalmente a credibilidade que todos tinham em sua pessoa e neste mesmo evento conseguiu um apoio fundamental da ALITALIA que me possibilitou ir ao Japão trazer o Hanshi Seigo Tada ao Brasil.

Não tem como falar de Seigokan sem falar no nosso querido Mestre e assim sempre será.
Este ano ele completaria 40 anos de Brasil, um Macaense de nascimento e um grande brasileiro por opção.
O Sensei Pedruco sempre me empurrou para os projetos que realizei, sempre dizia //”Takeshi viaje, faça o que tiver que ser feito, faça a Seigokan crescer//“.

A Seigokan fará 40 anos este ano em novembro pois o primeiro ato realizado por ele em solo brasileiro foi de iniciar as aulas de karate na academia Samurai em Copacabana e com isso o marco de fundação da SEIGOKAN BRASIL DOJO.

Ficaria escrevendo páginas e páginas a respeito deste Grande Mestre mas vou resumir na seguinte frase:

“Pedruco, um Homem, Um Mestre mas acima de tudo uma pessoa humana com um coração do tamanho do mundo”.

Gostaria de finalizar dando valor a pessoa que resgatou o Mestre Pedruco de volta aos amigos e ao karate, sua eterna esposa, ANA, sempre meiga, simpática e companheira, o Mestre Pedruco resgatou a felicidade, a alegria quando conheceu esta maravilhosa mulher e agradeço a ela de poder ter convivido mais com ele pois ela era a grande incentivadora dos sonhos do Sensei Pedruco.

Roberto Takeshi Fukuchi seu eterno filho, díscipulo.

Anúncios